Manifesto “Maré Feminista por todas as nossas lutas!” – Maré Feminista

20200314 Maré feminista v.2

A FEM subscreve o Manifesto “Maré Feminista por todas as nossas lutas!”

Em março de 2018, quando foi assassinada Marielle Franco, mulher, negra, mãe e cria da favela da Maré, socióloga e vereadora no Rio de Janeiro, vários coletivos e ativistas do movimento feminista mobilizaram ações de rua em Portugal. Foi no espírito desta ação e de tantas outras mobilizações anteriores contra a opressão e exploração das mulheres que nós, coletivos e ativistas feministas, percorremos a avenida da Liberdade, como Maré Feminista, no dia 25 de Abril de 2018 e em várias mobilizações que se realizaram desde então.

O dia 8 de Março de 2020 será o primeiro dia das Mulheres depois da partida de Lara Crespo, o primeiro dia das Mulheres depois da agressão a Cláudia Simões. E dia 14 de Março será o segundo aniversário do assassinato de Marielle Franco. Queremos assinalar esses dias, saindo às ruas com a força de tantas mulheres que, como Marielle Franco, são inspirações e razões para não baixarmos os braços!

Mulheres como as 500 funcionárias da antiga fábrica Triumph que no início de 2018 defenderam corajosamente o seu direito ao pagamento dos seus salários em atraso e não permitiram a pilhagem da empresa insolvente. Mulheres contra a exploração!

Mulheres como Cristina Tavares despedida por ter denunciado “castigos” e assédio moral de que foi alvo por parte da corticeira Fernando Couto-Cortiças, e que conseguiu sair vitoriosa dessa luta.

Mulheres como Débora Pinheiro e Sara Casinha, que em fevereiro de 2019, na Costa da Caparica, foram agredidas por um homem por estarem a dar um beijo e denunciaram publicamente esse ato de violência. Mulheres contra a lesbofobia!

Mulheres como Lara Crespo que, em setembro de 2019, depois de décadas de luta pelo seu direito à existência, acabou por termo à sua própria vida. Revelando a ferida de múltiplas opressões que esta pioneira da luta trans sofria. Mulheres contra a transfobia!

Mulheres como as três dezenas de mulheres assassinadas durante o ano de 2019, tantos nomes e tantas vidas agredidas pela violência machista. Mulheres como todas aquelas que todos os dias são vítimas do assédio e da violação. Mulheres contra a violência!

Mulheres como Cláudia Simões que em janeiro de 2020 foi agredida verbalmente por um motorista de autocarro, por a sua filha se ter esquecido do passe, e depois brutalmente agredida pela polícia. Mulheres contra o racismo!

Mulheres como as que todos os dias são silenciadas e esquecidas, como as mulheres utilizadoras de drogas, as mulheres em situação de sem-abrigo. Mulheres contra o silêncio e a indiferença!

Mulheres, sujeitas a múltiplas discriminações como as imigrantes, as mulheres com deficiências, as trabalhadoras do sexo, as mulheres ciganas, as trabalhadoras domésticas sem quaisquer direitos, as mulheres que vivem em aldeias desertificadas do interior do país.

Mulheres como as que todos os dias resistem a uma sociedade machista e se afirmam como pessoas, como trabalhadoras das mais diversas áreas, como donas do seu

próprio destino. Mulheres que dão a mão às outras mulheres numa ampla solidariedade. Mulheres, numa ampla luta feminista!

Ativistas dos movimentos feministas, LGBTI+, antirracistas e pela justiça social vamos juntar-nos numa grande Maré Feminista nos próximos dias 8 e 14 de Março!

Subscrevem os coletivos:
Capazes
CABE – Comissão de Apoio às Brasileiras no Exterior
Casa Ninja de Lisboa
Colombina Clandestina
Clube Safo
Coletivo Andorinha – Frente Democrática Brasileira de Lisboa
Djass – Associação de Afrodescendentes
Encontro Nacional de Mulheres na Roda de Samba Portugal
FEM – Feministas Em Movimento
Femafro – Associação de Mulheres Negras
Africanas e Afrodescendentes em Portugal
HuBB – Humans Before Borders
ILGA Portugal 
INMUNE – Instituto da Mulher Negra em Portugal
Juntas
Jornalistas Livres
Opus Diversidades
Brigadas Populares
Pois.pt
Plataforma GENI
Por Todas Nós – Movimento Feminista
SOS Racismo
UMAR – União de Mulheres Alternativa e Resposta