IGUALDADE contra o CONSERVADORISMO

Comemoramos neste ano os 50 anos do 25 de Abril. Muito mudou em Portugal desde então nas vidas das mulheres e muito está ainda por conquistar. Com o 25 de Abril as mulheres saíram à rua e os direitos alcançados foram obra sua – das creches ao direito ao divórcio, da luta pela despenalização do aborto à participação política – tantas e tão variadas lutas que se prolongaram por estes 50 anos e ainda hoje esão na ordem do dia. As associações de direitos das mulheres, entretanto criadas, contribuíram e contribuem para colocar na agenda política a igualdade entre mulheres e homens e as revindicações feministas para uma sociedade sem discriminações e sem violência.

Hoje constatamos que há quem queira fazer retroceder a História da Humanidade e das mulheres em particular. E nada melhor que fazer passar a ideia de que as políticas públicas para a Igualdade sáo um luxo e um sorvedouro de dinheiro.

A FEM – Feministas em Movimento – repudia este pensamento que mais não visa que culpar as mulheres e confiná-las a uma posição subalterna, refletindo o conservadorismo e o atraso que era o retrato de um Portugal antes do 25 de Abril a que não queremos regressar. Rejeitar a Igualdade de Género é apoiar as discriminações, é rejeitar o combate à violência contra as mulheres, contra as crianças, contra os/as idosas. Todos os dias há quem não poupe esforços nem energia neste combate de civilização, nomeadamente as muitas associações onde a FEM, com orgulho, se situa.

Continuaremos a luta contra a violência contra as mulheres e doméstica, pela igualdade salarial, contra a homofobia e a transfobia, por uma vida digna para todas as pessoas. A luta pela Igualdade de Género e pelos direitos é uma luta com muito caminho por fazer e de que não abdicamos.

 

Janeiro 2024

A Direção da FEM – Feministas Em Movimento